Archivo del sitio

Se Llama Copla 5 – Viernes noche 12 – 02.12.2011

Cristina SERRANO – “Dime que me quieres, de León e Quiroga.

© CanalSur

Mari Ángeles MARÍN – “La niña de Puerta Oscura”, de Quintero, León e Quiroga. Vestido de Luchi Cabrera.

© CanalSur

Alejandra RODRÍGUEZ vs Fran DOBLAS – ” La niña de Punta Umbria, de Ochaita, Valerio e Solano. Alejandra vestida por Ana Torres.

© CanalSur

Laura GALLEGO vs Anaraida SÁNCHEZ – “Te he de querer mientras viva, de León e Quiroga. Laura vestida por Ana Torres; Anaraidaluziu – com a sua elegância de sempre – uma belissíma criação de Nelson & Carreras.

© CanalSur

Alejandra RODRÍGUEZ vs Paco QUINTANA – “No puedo vivir contigo, de Quintero, León e Quiroga.

© CanalSur

Laura GALLEGO vs Álavro HERNÁNDEZ – “Te lo juro yo, de León e Quiroga.

© CanalSur

Paco QUINTANA vs Álvaro HERNÁNDEZ – “Cariá la Sanluqueña, de Ochaita, Valerio e Solano.

© CanalSur

Anaraida SÁNCHEZ  vs Fran DOBLAS – “Se nos rompió el amor, de Manuel Alejandro.

© CanalSur

Se Llama Copla – 2010 – 12° Desafio – Final


Abrimos este post com “Vino amargo” (de Solano, Cabello e Freire), e fazemo-lo em homenagem a Alejandra RODRIGUEZ, pela nobreza e elegância que demonstrou partilhando o deslumbramento que sentia ao longo da magistral interpretação de Antonio CORTÉS:



© CanalSur


Alejandra
(vestida com originalidade por Eva ZAMORANO), deu a vitória no “Desafio” à sua edição, e encerrou o ciclo com mais uma admirável interpretação da sua copla fetiche Campanas de Linares (de Ochaíta, Valerio e Solano):


© CanalSur


Erika LEIVA – “Encrucijada, de Bazán e Rabay. Vestida por Miguel REYES.


© CanalSur


Laura GALLEGO – “La Salvaora, de Quintero, León e Quiroga. Vestida por Amparo MACÍA.


© CanalSur


Juan CALERO –  “Triniá, de Valverde, León e Quiroga.


© CanalSur


Sandra ARCO – “Sevilla
, de Alejandro e Beatriz Beigbeder. Vestida por Pablo LANZAROTE.


© CanalSur


Miriam DOMÍNGUEZ – “Ten cuidado”, de León e Solano. Vestida por SEVILLANIA.



© CanalSur


Nazaret COMPAZ – “María la Portuguesa
, de Carlos CANO. Vestida por Petro VALVERDE.


© CanalSur


Antonia GÓMEZ – “Me embrujaste
, de Quintero, León e Quiroga. Vestida por MASELL.


© CanalSur


María LOZANO – “Romance de Zamarrilla, de Román e Jaén. Vestida por Ángeles VERANO.


© CanalSur


Miguel Angel PALMA – “Amor maldito
, de Bazán e Rabay.


© CanalSur


Paco QUINTANA – “Me valga la Magdalena
, de León, Molina Moles e Quiroga.


© CanalSur


Desafio final:

“Trece de mayo”, (León e Solano), por  Maria LOZANO e Alejandra RODRIGUEZ:


© CanalSur


© CanalSur


“Tengo miedo”
, (León e Solano), por Alejandra RODRIGUEZ e Laura GALLEGO:


© CanalSur


© CanalSur

Coros:

Coro 1.a – “Coplillas de las divisas“, de Ochaíta, Valerio e Solano.


© CanalSur


Coro 2.a – “Cántame un pasodoble español”, de Leblanc e Lamber.


© CanalSur


Coro 3.a – “La verde palma“, de Ochaíta, Valerio e Solano.


© CanalSur


4M

Se Llama Copla – 2009/2010 – Gala 18 – 16.01.2010

Convidado: Carlos VARGAS, sevilhano. Excelente voz, cantou uns Tientos del reloj cheios de relevo e de sensibilidade.

Alejandra abriu a gala cantando “Canción del fuego fatuo”, honrando Manuel de Falla e demonstrando que poderia sem qualquer dificuldade fazer parte do elenco de “El Amor Brujo”.

© CanalSur

As melhores presenças da noite:

Sandra Arco cantou”En el último minuto” com a contenção e a doçura certamente imaginadas por Rafael de León. Cada vez tem maior controlo sobre a voz, e o desempenho cénico foi dos mais belos a que até hoje assistimos no programa. Vestida com subtil elegância por Miguel REYES.

© CanalSur

Laura bordou “Puertecita de mi casa”, interpretando esta bela copla por bulerías com a segurança, a força e a estética copleira que a caracterizam.

© CanalSur

Verónica Carmona construiu “Castillitos en el aire” integrando-se de forma magnífica na temática da copla que lhe coube defender. Excelente interprete, sólida, beneficia do recuo que a idade lhe proporciona. Luziu vestido exuberante de Amparo MACIA.

© CanalSur

Juan Carlos defendeu com brio pouco usual “Que guapa eres”, sugerindo ser este o estilo de copla em que tem mais possibilidades de brilhar.

© CanalSur

Enfin, Karen PÉREZ CARMONA, que nos deu uma adorável interpretação de “Señora vecina“, não pontuada pelo júri para  evitar ferir as susceptibilidades dos candidatos mais inseguros!

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Tiveram actuações de destaque nesta Gala 17:

Nazaret COMPAZ estreou-se com “La rosa de Capuchinos”. A sua grande experiência prévia à entrada no programa ficou evidenciada: Nazaret não é uma principiante, a sua actuação assumiu qualidade e impacto de predestinada a disputar a finalíssima. Belíssima voz, bela presença em palco.

© CanalSur

Mercedes RÍOS
, que cantou “Almudena” com o seu habitual rigor e elegância. Hilário definiu-a com pertinência como “animal de cenário”. Concordamos plenamente com a definição. Belíssimo – e “salerosissimo”! – vestido de Angeles VERANO.

© CanalSur

Álvaro LÓPEZ estreou “Mi pena” em “Se llama Copla”, também copla por bulerías, cuja letra magnífica foi escrita por Antonio García Padilla, pai de Carmen Sevilla, aparentemente em homenagem a Miguel de Molina. Esteve muito bem, mas a dificuldade que tem em sensibilizar os telespectadores levou-o ao desafio final, de que Juan Carlos oportunamente o extraiu.

© CanalSur

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Despediu-se Mari Angeles FERNANDEZ, com muito pouca elegância, talvez fruto da falta de maturidade. Mas não podemos deixar de comparar a sua atitude com o extraordinário fair play de Selene MOLINA, que caiu em pé, com dignidade impressionante, frente a uma barreira de profissionalismo virtualmente intransponível.

Daqui saudamos Raquel PEÑA, pela sua excelente voz e persistência.

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Sobre o júri:

Pepe GOMEZ: foi directo e acertadíssimo quando opinou sobre as controvérsias que grassam entre os candidatos.

Maria JIMÉNEZ: foi pertinente e pontuou bem. Apreciamos sobremaneira o 10 com que reconheceu o mérito da interpretação de Sandra, e o oportuno e excelente àparte que teve ao pontuar Laura. OLE MARIA!

Hilário LOPEZ: contido nas pontuações, esperamos que mantenha a coerência e desempenhe a importante missão de árbitro esclarecido para a qual é reconhecidamente competente.

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Pive AMADOR mais uma vez se viu obrigado a exercer as suas competências pedagógicas em benefício do programa. Sem qualquer preocupação de correcção politica, definiu e explanou frontalmente a diferença entre companheirismo e compadrio. Manter Verónica CARMONA no concurso foi decisão não só justíssima, que saudamos efusivamente, mas também em estrita coerência com a orientação de fundo imprimida por Pive AMADOR a Se Llama Copla.

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

2M

A %d blogueros les gusta esto: