Archivo del sitio

Noite de Natal – Nochebuena Andaluza

Menção honrosa para o excelente espectáculo com que a RTVA presenteou os telespectadores na noite de Natal: Pepe GOMEZ “El Marismeño”, deu-nos momentos de grande arte, tal como também nos embalaram Laura GALLEGO, Sandra CABRERA, Gloria ROMERO, Nicolas GARCIA, India MARTíNEZ, Antonio AMAYA, ANDY & LUCAS e uma pleíade de grandes artistas espanhóis que no último decénio passaram pela televisão andaluza.

Anuncios

Se Llama Copla – 2009/2010 – Gala 9 – 14.11.2009

Convidada: Índia MARTINEZ. Presença sóbria e discreta. Cumpriu correctamente a sua missão.

Pepe GOMEZ, mantendo em geral a boa forma, pontuou sem desvios significativos em relação aos outros membros do júri.

Maria JIMÉNEZ pareceu-nos senão restabelecida, pelo menos em via de restabelecimento. Invectivou o público, o que é animador sinal de regresso – ainda que tímido – ao gosto pela polémica que evidenciou no início desta edição de Se Llama Copla.

Hilário LOPEZ esteve bem, ainda que nos parecesse algo contido e parco em comentários.

Já desde algum tempo, o júri parece-nos estar a cair no erro grave de esbater a diferenciação entre candidatos, tornando assim mais difícil a leitura objectiva do registo de cada um. Foi flagrante a parcimónia com que pontuou Alejandra, para logo em seguida cometer exagero manifesto na avaliação de Paco QUINTANA. Foi também evidente a sobre-pontuação de Sandra ARCO em relação a Alejandra, e a penalização de Laura LARREA em relação a ambas.

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Pive AMADOR arbitrou com oportunidade e coerência, salvando Álvaro e forçando a desafiante a bater-se com Laura LARREA, que é indiscutivelmente um dos valores mais seguros do programa.

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Tiveram actuações de destaque nesta Gala 9:

Juan Carlos MATA que defendeu muitíssimo bem “El pescaero”, prestando honrada homenagem ao excelente Antonio AMAYA.

Abraham RUIZ cantou “Adiós a España”, com sentimento, força e tenacidade sem falha. Coincidindo a Gala 9 com o seu aniversário, daqui lhe manifestamos toda a simpatia e votos de uma vida longa e feliz!

Selene MOLINA interpretou “Tengo miedo” com a intensidade e sentimento a que nos vem habituando. Algo prejudicada por uma óbvia inflamação dos brônquios, luziu um magnifico vestido de Carmen VEGA. Mereceu grande apreço o gesto de India MARTINEZ, que ao dar-lhe a nota máxima marcou o seu desacordo com os 7 pontos (!!!) com que Pepe, Maria e Hilário pretendiam enviá-la ao desafio.

© CanalSur

Mercedes RÍOS, apresentando com suma elegância um dos mais belos vestidos da temporada da autoria de Manuela BERRO, pode dar largas ao seu culto “piqueriano” cantando ¿Pa quien será?” com picardia, desenvoltura e grande correcção vocal e cenográfica. Resultou particularmente humorística a forma entaramelada como Maria JIMENEZ lhe criticou um ligeiro engano na letra, trava-línguas dificílimo de que Mercedes se desenvencilhou muitíssimo bem.

© CanalSur

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Três das dez coplas cantadas pelos concorrentes nesta Gala 9 foram gravadas por Amália RODRIGUES: “La Salvaora“, “Ojos Verdes” e “Don Triquitraque” (Amália adorava os trava-línguas!).

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

No nosso sempre modesto entender – nunca será demais repetí-lo – as melhores presenças da noite foram

Laura María LARREA, que interpretou Dolores, ay mi Dolores” com equilíbrio, sentido estético apreciável… e muito medo do júri! Medo que de alguma forma se viu justificado, pois os 31 pontos que recebeu foram agressão manifesta à equidade.

© CanalSur

Sandra ARCOS bordou toda a poesia de “En una esquina cualquiera”, imprimindo-lhe com os matizes da sua excelente voz toda a riqueza melódica de tão famosa peça musical.

© CanalSur

Alejandra RODRÍGUEZ deu-nos uma versão de “La Salvaora” que marcará junto das grandes versões registadas na história de tão famosa zambra: Manolo CARACOL, La Paquera, Miguel POVEDA, Naranjito de Triana… e a da nossa inesquecível Amalia RODRIGUES.

© CanalSur

A sua actuação – num belo e simplicíssimo vestido de Amparo MACIA – prescindiu dos bailarinos, permitindo deste modo uma concentração muito maior por parte dos telespectadores, e resultando numa performance de cortar a respiração. Juntamo-nos a Hilário, e utilizamos as suas palavras para descrever “La Salvaora“, versão Alejandra RODRÍGUEZ:

Voz, Quejío, Duende, Garra, Mistério, Qiebro gitano…

Obrigado Alejandra!

2M

A %d blogueros les gusta esto: