Archivo del sitio

Se Llama Copla – 2009/2010 – Gala 19 – 23.01.2010

Gala especial de repesca, que produziu o 11° e último candidato à fase final.

Tivemos o prazer de rever Selene MOLINA, Mª Jesús DURÁN, Carolina BARROSO, Inma PANIAGUA, Mª Ángeles FERNÁNDEZ, Miriam JAÉN, Maika GARCÍA e Abraham RUIZ.

© CanalSur

As melhores presenças da noite:

Selene MOLINA deixou-nos com duas actuações de qualidade e arte inexcedíveis: A tu vera e “Tengo miedo“. Duende, quejio, serenidade (já lhe chamámos “selenidade“…), e uma dignidade imensa, um fairplay impressionantes numa jovem de 16 anos.

© CanalSur

Se de alguma forma o destino de Selene não foi aquele em que este blog teria votado, também o facto de Selene regressar à sua rotina de estudante de arte nos satisfaz plenamente, pois sentimos que será fundamental para que tenha um grande destino na cena musical europeia. OLÉ E ATÉ SEMPRE, CHIQUILLA!

 

Abraham RUIZ cantou “El Maletilla” e teve, no nosso modesto entender, a melhor noite de todas em que participou em Se Llama Copla. Impressionou pelo trabalho meticuloso de afinação e expressão vocal que o caracterizam, premiado merecidamente com o acesso à fase final do programa.

© CanalSur

Foi particularmente agradável rever e ouvir Maria Jesus DURÁN bordando com arte e suma elegância “Clavá en mi amargura“. Artista nata, Maria Jesus foi uma das presenças que emprestou à gala uma enorme mais valia. Luziu um vestido de Pepa CASTRO, um dos mais belos da gala.

© CanalSur

Miriam JAEN deu-nos uma das melhores versões de “La Paula” que já ouvimos em Se Llama Copla. Melhorou nitidamente a prestação cénica, e em termos de interpretação e de voz também são evidentes os enormes progressos que fez.

© CanalSur

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Tiveram actuações de destaque nesta Gala 19:

Inmaculada PANIAGUA esteve muito bem cantando “Cuchillito de agonia“. Vestido de Amparo MACIA, belíssimo e digno da sua requintada elegância.

© CanalSur

Carolina BARROSO deliciou-nos com “Échale la red“. Notou-se o esforço enorme – e altamente meritório – que fez nos meses de ausência para tentar ultrapassar as dificuldades que o jurí lhe apontava. Esteve muitíssimo bem!



© CanalSur

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Sobre o júri:

Pepe GOMEZ: esteve humano (tanto quanto esta gala exigia), sem nunca deixar de ser analítico e objectivo.

Maria JIMÉNEZ: pareceu-nos ausente, algo desinteressada. Pontuou bem.

Hilário LOPEZ: esteve bem, ainda que por vezes indeciso entre a arte e a tecnica.

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Partilhamos integralmente a decisão de Pive AMADOR, claramente assumida, coerente com a atitude na polémica sobre a arte e o esforço, que há uns meses teve com Maria JIMENEZ.

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

2M

Se Llama Copla – 2009/2010 – Gala 15 – 26.12.2009


Convidada: A cantaora Carmen PACHECO RODRÍGUEZ, mundialmente conhecida pelo seu nome artístico – Carmen LINARES.

Prémio Nacional de Música 2001, Medalha de Ouro das Belas Artes em 2006. O seu disco “Raíces y Alas” obteve o galardão de Melhor Álbum de Flamenco 2008.

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Gala em que a produção tentou dar aos concorrentes algumas horas de descontracção e de boa disposição. Temas simples, executados sem pressão competitiva.

Selene
deu-nos um dos momentos mais requintados da noite interpretando “Toma que toma” um “jaleo flamenco” musicado com mestria e simplicidade geniais. Belíssima evocação de musica árabe, magistralmente bailada por Selene e primorosamente “jaleada” por Alejandra, Álvaro e Sandra. Belo vestido de Manuela BERRO.

© CanalSur

Paco embalou-nos com uma versão máscula da rumba “Que bonita es mi niña“, em que também embalou… e se fez embalar por Cristina:

© CanalSur

Cantando Sera una rosa“, Alejandra evocou sem invocar Gracia MONTES:

© CanalSur

Esteve perfeita, apesar de de cantar sob o efeito da emoção causada pela inesperada – e estupenda! – prenda de Natal com que Ortega Cano a honrou.  Olé Alejandra!

© CanalSur

Hilario e Laura proporcionaram um dos muitos momentos altos da noite interpretando “Te estoy queriendo tanto” com a força e a doçura que o texto merece. Amparo MACÍA vestiu Laura com sobriedade e suma elegância.

© CanalSur

Pepe “El Marismeño”, Verónica e Alejandra bordaram uns preciosos “Villancicos Flamencos“, prejudicados pela única nota menos agradável da noite dada por Pepe, ao omitir (deliberadamente?) o contributo de Pive AMADOR para o elevado nível musical e cultural do programa.

Juan Carlos e Laura cantaram “Canastos” (que também se intitulou “Luna de miel” e “L’amour commande“), defendendo de forma notável o grande êxito de Luís Mariano e de Gloria LASSO, catalã de Vilafranca del Penedés, que morreu no México com 83 anos, 180 discos… e nada menos que 9 maridos!

© CanalSur

Mercedes deu-nos uma graciosa versão de El Relicário, enriquecida por um distintíssimo vestido de Pedro VALVERDE.

© CanalSur

Marietta CALDERÓN, Raquel GARCIA, Cristina e Pedro incendiaram o palco com “Probe Migué“, canção originalmente intitulada “Miguel Canales“, do grande poeta e compositor colombiano Rafael CALIXTO ESCALONA MARTINEZ, popularizada em Espanha pelo grupo “Triana Pura” em ritmo de tangos por rumba.

Álvaro cantou “Mariquilla“, da autoria do jineense Jose Luis MARTINEZ GORDO, que, se os actuais métodos de marketing já existissem, teria sido disco de platina em Espanha em 1958.

© CanalSur

Os candidatos que a má fortuna obrigou a cederem o lugar no programa deliciaram-nos com uma belíssima interpretação do pasodobleAy flores de España“. Foi particularmente agradável rever Rocio MOLINA e Carolina BARROSO.

© CanalSur

Maria JIMENEZ e os candidatos masculinos interpretaram “La lista de la compra“, curioso poema musicado do grupo de pop-rock espanhol La Cabra Mecánica.

Sandra deu-nos uma estupenda versão de “Ven y ven“, que em nada ficou a dever à de Sara MONTIEL.

© CanalSur

Mari Angeles , solta como nunca, cantou – bem! – “Me gusta mi novio“, luzindo um elegante vestido de Miguel REYES.

© CanalSur

2M

Se Llama Copla – 2009/2010 – Gala 2 – 26.09.2009

Congratulámo-nos com a presença de Nayara MADERA, aparentemente recuperada do problema de saúde que a afectou! Constatámos com prazer a forma digna e elegante com que Rocio MOLINA encarou o seu afastamento definitivo, que lamentamos, sem no entanto assumirmos qualquer rejeição da encantadora Miriam JAÉN, a quem damos as mais sinceras boas-vindas!

Convidada: Patricia VELA. Tecnicamente banal – limitou-se a repetir observações dos outros membros do Júri, e a adoptar a postura do veterano que encoraja principiantes. Pessoalmente, revelou-se simpática, digna, correctíssima. Cantou muito bem, e o improviso com que obsequiou (e comoveu!) Eva GONZALEZ foi momento alto da gala.

Eva GONZALEZ esteve elegantíssima, segura, ágil e firme na condução dos trabalhos.

Congratulamo-nos constatando que Pepe GOMEZ evolui com certeza e segurança e aproveita as galas para absorver toda a informação necessária à produção de avaliações justas e objectivas. É notável a capacidade que vai adquirindo para dissociar as prestações dos candidatos das pessoas respectivas. Notável!

Maria JIMÉNEZ persiste na adopção de uma postura totalmente incompatível com alguns dos valores fundamentais do programa, nomeadamente com a elegância na forma de estar e nos propósitos.

Com total desrespeito pelos telespectadores – entre os quais se contam milhares de crianças apaixonadas pela copla – lançou-se pelo menos duas vezes em discursos eivados de grosseria. Tentou encontrar no lumbago a justificação para a “mala leche“, mas sendo vulgar e tecnicamente medíocre é mais provável que o (bem)dito seja castigo dos Deuses.

Pareceu-nos detectar um certo mal-estar em Hilário, cuja estilo e elegância intelectual são manifestamente incompatíveis com as tiradas de Maria JIMÉNEZ. Esteve bem: comedido, preciso, objectivo, construtivo.

Foi noite agitadíssima para Pive, que [supomos] começou com alguma tristeza pela eliminação definitiva de Rocio MOLINA – continuamos a entender que o programa ficou a perder – e prosseguiu na vivíssima (mas desagradável) troca de argumentos com a desnorteada Maria JIMÉNEZ após a prestação de Abraham RUIZ.

A sua decisão de “salvarÁlvaro LÓPEZ foi tacticamente correcta, pois entendemos que o quase médico ainda merece oportunidades de estágio.

Aplaudimos também com veemência – por oportuna e correctíssima – a inflexão táctica que consiste na retirada ao “retante” do direito de escolher “vitima“.

Notámos também a presença incómoda e inoperante do Reverendo Padre Medina no canto superior esquerdo do televisor, incómoda porque prejudicou o sempre excelente trabalho dos operadores de imagem e do realizador, e inoperante porque não surtiu qualquer efeito taumatúrgico, ou mesmo só apaziguador, nas excitações verbais e lombálgicas de Maria JIMENEZ.

Alguns candidatos saudaram Patricia VELA, e é gesto bonito de ver. Em contrapartida, continuaram (forçadamente?) hieráticos após a actuação dos colegas, o que no regresso dos colegas que quando os colegas regressam nos momentos de regresso dos colegas. Parece-nos que algum inconformismo por parte dos candidatos seria muito bem vindo. Se a Carolina BARROSO lê este blog, aqui lhe deixamos o desafio.

Maestros e orquestra excelentes – o que é habitual, mas merece sempre ser evocado. Bailarinos de altíssimo nível, que imprimem segura mais valia às actuações dos candidatos.

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Destacaram-se nesta Gala nr. 2 os candidatos seguintes:

Miríam JAÉN, sobretudo pela reacção correcta, inteligente e contida aos despropósitos de Maria JIMENEZ, particularmente notáveis numa jovem de 19 anos sem grande background cultural.

Mercedes RIOS esteve bem cantando o “Romance de la Reina Mercedes“, copla justamente qualificada de “castelhana” por Hilário. Foi elegantemente vestida por Luchi CABRERA.

Laura Maria LARREA contou-nos a história de “Los Niños de la Gabriela”, tecnicamente sem falhas e com encenação de qualidade.

© CanalSur

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Uma vez mais Selene MOLINA (“Mi Niña Lola“) e Alejandra RODRIGUEZ (En las cruces de mi reja) foram para nós as melhores presenças da noite.

© CanalSur

Com um estilo totalmente diferente e vincadamente pessoal, Selene fez-nos lembrar Laura GALLEGO, que na gala 21 da passada edição também cantou (e encantou!) “Mi Niña Lola“.

© CanalSur

Alejandra cantou mais uma copla difícil com rigor absoluto, com imersão total na música e no texto. Impressiona pela forma como entra em relação íntima com as peças musicais que Pive com grande pertinência lhe tem confiado. “Interpretação para sibaritas exigentes da copla” – justíssimas e merecidíssimas palavras de Hilário.

© CanalSur

Recomendamos a Alejandra toda a serenidade na gestão da sua [aparente] dificuldade em impressionar o público votante, que pensamos estar ligada ao nível altissimo das suas interpretações. Passou-se algo de semelhante com Sandra CABRERA na passada gala.

Parabéns a Selene e a Alejandra, as duas são formidáveis!

2M

A %d blogueros les gusta esto: