Archivo del sitio

Se Llama Copla 4 – Gala 15 – 08.01.2011

Isabel GENIZ foi, no nosso modesto entender, a grande vencedora da noite, com uma interpretação brilhantíssima de “Elvira la cantaora“, de Quintero, León e Quiroga. Belo vestido de Aurora GAVIÑO.

© CanalSur

Patricia DEL RÍO cantou com suprema graça, desenvoltura e salero “Mira que eres malo conmigo“, de Naranjo e Solano. Belo vestido de Cristo BÁÑEZ.

© CanalSur

Remedios CASTRO interpretou com acerto, mas também com algum temor “La Emperaora“, de Llabrés, Molina Moles e Gordillo. Passeou com a distinção que a caracteriza um elegantíssimo vestido de Luchi CABRERA.

© CanalSur

Anaraida SÁNCHEZ, ainda que afectada fisicamente, conseguiu mesmo assim defender com qualidade “La lumbre de tu cigarro“, de Ochaíta, Valerio e Solano. Vestido de Ángeles VERANO.


© CanalSur

Álvaro VIZCAÍNO interpretou magistralmente “La hija de Don Juan Alba“, de Francisco Infantes e Luis Rivas.


© CanalSur

Verónica ROJAS deu-nos uma versão intimista, plena de subtileza e de doçura, de “La cruz de mayo” (Valverde, Font de Anta). Elegantíssima, num belo vestido de Manuela GONZALEZ.


© CanalSur

Inma GARCÍA II emprestou grande brilho vocal e interpretativo a “No me llames Dolores“, de León e Quiroga. Vestido de Manuela BERRO.


© CanalSur

Mila BALSERA teve a sua merecida noite de glória com “Aquella Carmen“, de León e Solano. Luziu belo vestido de Creaciones MARICRUZ.


© CanalSur

Juanma JEREZ – “Mis tres puñales“, de León e Solano.


© CanalSur

Álvaro HERNÁNDEZ – “Cinco farolas“, de Ochaíta, Valerio e Solano.


© CanalSur

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Desafio final:

No primeiro desafio defrontaram-se Isabel GENIZ e Sandra RUIZ cantando “Ay pena penita“, de Quintero, León e Quiroga.

Duas grandes vozes, uma grande interprete. Entendemos que Isabel esteve magnífica, e Sandra clássica. Olé pela decisão do júri!!!


© CanalSur

© CanalSur

No segundo desafio defrontaram-se Inma GARCIA II e Juan Jesús SERRANO cantando “La bien pagá” de Quintero, León e Quiroga.

© CanalSur

© CanalSur

Inma esteve grande, até imensa. É lamentável que, no seu caso, a sensibilidade tenha faltado ao júri, que privou o concurso de um dos seus maiores valores, optando por um candidato de qualidade, mas que não é portador de quaisquer mais-valias.

Copla es arte mayor saúda a magnífica artista e a excelente pessoa que se reúnem em Inma GARCIA II, a quem auguramos uma fulgurante carreira!

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Quanto ao júri:

Pive AMADOR: apreciámos sobremaneira os votos de confiança em Isabel e em Inma.

Manuel LOMBO esteve bem.

Marta QUINTERO continua afectadissíma pelo síndroma da mudança, que é tanto mais grave quanto se furta a motivar as suas decisões.

Hilario LÓPEZ: em boa forma, tão só prejudicada pela decisão que levou ao abandono de Inma.

Se Llama Copla 4 – Gala 12 – 18.12.2010

Isabel GENIZ teve outra noite de glória comSalero de España (Quintero, León y Quiroga), em que aplicou não só o salero que se impunha mas a graça, a elegância e a naturalidade que fazem dela um dos valores mais seguros desta edição. Esteve objectiva, digna, imperturbável, e pertinente  na decisão de excluir Juanma do desafio. Belíssimo vestido de Amparo MACIÁ.

© CanalSur

Mais uma magistral actuação de Anaraida SÁNCHEZ, que emprestou os seus excepcionais dotes vocais e interpretativos a um grande clássico – Mi amigo de León y Solano. Elegantíssimo vestido de Ana TORRES.

© CanalSur

Remedios CASTRO cantou e actuouYo soy… esa” (Quintero, León y Quiroga) com excepcional elegância, retenção e fulgor artístico. Vestido – o mais belo da gala – de Luchi CABRERA.

© CanalSur

Belíssima interpretação deQué bonita es mi niña (F.García del Val) por Álvaro VIZCAÍNO, que cada vez mais demonstra ser capaz de emprestar aos temas que lhe confiam originalidade e criatividade.

© CanalSur

Inma GARCÍA II enfrentou-se nesta gala a um registo menos adaptado ao seu estilo pessoal. No nosso modesto entender provou a solidez das suas capacidades, cantando Separaos” (I. Román y R. Jaén) com impressionante ajuste e perfeição técnica. Vestido de Pilar VERA.

© CanalSur

Verónica ROJAS cantouYo no me quiero enterar de Quintero, León y Quiroga, com brilho e sensibilidade. Por muito que a actuação na Catedral de Sevilha ao lado de Manuel LOMBO possa ter sido bálsamo para o tormento da desafeição relativa dos telespectadores em relação à sua pessoa e à sua arte, pareceu-nos que não lhe aproveitou, pelo grave conflito de interesses que constitui. Vestido de Ana TORRES.

© CanalSur

Patricia DEL RÍO cresce e adquire admirável segurança. Interpretou Manolito Clavel (Quintero, León y Quiroga). Vestido de Manuela BERRO.

© CanalSur

Mila BALSERA vendeu com segurança e mestria a Vendedora de coplas (Ignacio Román). Vestido de Aurora GAVIÑO.

© CanalSur

Juanma JEREZLa remanguillé (León, Clavero, Quiroga y Vargas). Domínio da voz e integração com a orquestra excelentes.

© CanalSur

Álvaro HERNÁNDEZDolores la Golondrina (Quintero, León y Quiroga). Estilo pessoal muito cuidado, afinação perfeita, expressão musical original.

© CanalSur

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Desafio final:

Defrontaram-se se Remedios CASTRO e Lidia HERNÁNDEZ cantando A tu vera, de León e Solano. Duas grandes vozes, duas grandes interpretes. Pessoalmente, entendemos que a admirável sensibilidade, o intimismo e a pessoalissíma versão de Remedios lhe valeram justamente a decisão do júri.

 

© CanalSur

© CanalSur

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Quanto ao júri:

Pive AMADOR: sem reparos, e com louvores à “finesse” sibilina com que tentou salvar Remedios das intenções do júri.

Manuel LOMBO esteve bem, nomeadamente na intervenção incidental à pontuação de Isabel GENIZ, pondo em evidência a frontalidade da concorrente. Ao convidar Veronica ROJAS para partilhar com ele (artisticamente…!) o altar-mór da Catedral de Sevilha fragilizou a sua independência, que corre o risco de poder vir a ser sériamente posta em causa até ao fim da edição.

Marta QUINTERO parece-nos afectada pelo síndroma da mudança, evidenciado na passada gala ao condenar Fran DOBLAS, e nesta ao condenar Remedios CASTRO. No restante, geralmente pertinente e equilibrada, com alguns excessos de rigor (v.g. Isabel e Remedios).

Hilario LÓPEZ: sem reparos, e com louvores à inesgotável e pertinente veia poética.

Se Llama Copla 4 – Gala 11 – 11.12.2010

Remedios CASTRO – “Limón, limonero(Perelló, Cantabrana y Mostazo). Vestida por Rocío PERALTA.


© CanalSur

Anaraida SÁNCHEZ – “Compañero(León y Solano). Vestida por Loli VERA.


© CanalSur

Inma GARCÍA II – “La ventolera(Arias y Gordillo). Vestida por Amparo MACIÁ.


© CanalSur

Verónica ROJAS – “Los piconeros(Perelló y Mostazo). Vestida por Manuela BERRO.


© CanalSur

Isabel GENIZ – “Ay qué risa(Quintero, León y Quiroga). Vestida por Mamé DE LA VEGA.


© CanalSur

Álvaro VIZCAÍNO – “Las campanas de Linares(Ochaita, Valerio, y Solano)


© CanalSur

Mila BALSERA – “Madrina(Quintero, León y Quiroga). Vestida por Aurora GAVIÑO.


© CanalSur

Patricia DEL RÍO – “La gente(León, Molina Molés y Quiroga). Vestida por Pilar VERA.


© CanalSur

Fran DOBLAS – “Málaga y olé(León y Solano).


© CanalSur

Juanma JEREZ – “Silencio cariño mío(Quintero, León y Quiroga)


© CanalSur

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Desafio final:


© CanalSur

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*


Quanto ao júri:

Se Llama Copla 4 – Gala 10 – 04.12.2010

Gala excelente, qualidade das interpretações altíssima. Estão de parabéns a musica e arte andaluzas.

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Anaraida SÁNCHEZ continua o seu percurso acidentado, mas imparável. Deu-nos uma interpretação magnífica de “Nardo con bata de cola” (Rafael Jaén), passeando com arte absoluta um impressionante vestido de cauda. Vestida por Antonio JIMÉNEZ.

© CanalSur

Grande estreia, magnifica copla, e magistral interpretação de Inma GARCÍA II, que se superou cantando “La guapa de Gibralfaro” (León e Quiroga). Inma é copla, é entrega total à interpretação. Vestido de Luchi CABRERA.


© CanalSur

Remedios CASTRO teve a sua de glória! Parafraseando Hilario LOPEZ, bordou em filigrana “Con los bracitos en cruz” (Molina Moles, Alfonso e Naranjo). Luziu com suprema elegância o mais belo vestido da noite, criado por Aurora GAVIÑO.

© CanalSur

Verónica ROJAS manteve a sua habitual excelência cantando “Puertecita de mi casa” (Quintero, León e Quiroga). Vestido de Ángeles VERANO.

© CanalSur

Juanma JEREZ mereceu sem qualquer dúvida a nota máxima cantando “Romance de Zamarilla” (Román e Jaén).

© CanalSur

Patricia DEL RIO esteve excelente cantando “Campanitas del alba” (Quintero, León e Quiroga). Dominou o palco, evoluiu com suma segurança e elegância. Luziu belíssimo vestido de Rocío PERALTA.

© CanalSur

Isabel GENIZ bordou as “Coplas de Luis Candelas” (León e Quiroga), com graça suprema, com inteligência, com perfeito sentido interpretativo. Original e esplêndido vestido de Manuela BERRO.

© CanalSur

Grande noite também para Álvaro VIZCAÍNO, que fez sua com grande intensidade e originalidade a copla “Tus cinco toritos negros” (Benítez Carrasco e Solano).

© CanalSur

Fran DOBLAS continua a interpretar bem, mas de forma algo morna e desinteressante. Cantou La luna enamorá (Durango, Bolaños e Villajos).

© CanalSur

Mila BALSERA: grande voz, bem andaluza. Cantou “Cuna cañí” (Bolaños, Durán e De Villajos) com desenvoltura e sentido cénico. Vestido de Manuela BERRO.

© CanalSur

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Desafio final:

Desafio atípico, que só não fica na história de Se Llama Copla porque Carmen GUTIÉRREZ não ousou enfrentar Verónica ROJAS e preferiu optimizar as suas possibilidades concorrendo – e perdendo… – contra Mila BALSERA. Cantaram “Elvira la cantaora” (Quintero, León e Quiroga).

© CanalSur

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Quanto ao júri:

Excelente trabalho, integralmente sem reparos.

De sublinhar a honestidade intelectual de Manuel LOMBO, que revelou o motivo do estranhissímo comportamento de Inma GARCIA quando actuava… e que afinal foi reacção às provocações (sem maldade!) do júri, que não perde nenhuma oportunidade para demonstrar o prazer com que exerce a sua missão, e que é humano, salutarmente humano!

Olé pelo júri e pelo risco (artistico…) que Inma correu ao permitir-se interpelá-lo!

 

A %d blogueros les gusta esto: