Archivo del sitio

Se Llama Copla 5 – Gala 07 – 29.10.2011

Selina DEL RÍO – “La rosa del Altozano, de León e Pavón. Esplêndido vestido de Aurora Gaviño.

© CanalSur

Jonatan SANTIAGO – “Tus cinco toritos negros, de Benítez Carrasco e Solano

© CanalSur

Cristina SERRANO – “Que me perdone Dios, de Molina Molés e Gordillo. Belissímo vestido de Nelson e Carreras.

© CanalSur

Mari Carmen MOLINA – “Romance de valentía, de Quintero, León e Quiroga. Vestida por Ismael Domínguez.

© CanalSur

Álvaro DÍAZ – “La Salvaora, de Quintero, León e Quiroga

© CanalSur

Macarena SOTO – “Quiéreme que tengo tela, de León e Solano. Vestido de Pepe Fernández e Sevillania.

© CanalSur

Cintia MERINO – “La gente, de León, Molina Molés e Quiroga. Vestida por Amparo Macía.

© CanalSur

Rocío PELÁEZ – “Carmen de España, de Quintero, León e Quiroga. Vestida por Sonia e Isabelle.

© CanalSur

Juan Francisco CURADO – “Cantiña, de Quintero, León e Quiroga

© CanalSur

Ana Pilar CORRAL – “Los piconeros, de Perelló e Mostazo. Vestida por Cañavate.

© CanalSur

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Desafio para a a imunidade:

Álvaro DÍAZ vs Jonathan SANTIAGO – “Ni se compra ni se vende, de Monreal.

© CanalSur

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Desafio final:

Macarena SOTO vs Óscar CALDERÓN – “Capote de grana y oro, de Quintero, León e Quiroga

© CanalSur

Magnifica interpretação de Macarena SOTO, que mereceu plenamente a sua permanência no concurso!

Anuncios

Se Llama Copla 4 – Viernes noche – 14.01.2011

Abriu o programa Antonio CORTÉS com uma magnifica interpretação de “La gente” (León, Molina e Quiroga). Antonio abre caminhos originais no panorama musical andaluz, com potencialidade para marcarem a história da musica ibérica:

© CanalSur

Foi com muito prazer e alguma esperança que assistimos ao regresso de Jessica RIZZO, em quem reconhecemos um estilo muitíssimo original, uma doçura que foge aos cânones tradicionais. Cantou “Limosna de amores” (Quintero, León e Quiroga), algo insegura, mas, ainda assim (e na nossa modesta opinião), convincente:

© CanalSur

Mario FERNANDEZ cantou “Señorita” (León e Solano), bem, mas sem brilho:

© CanalSur

Mariló RUIZ cantou “Soleá” (Valverde, León e Quiroga), prejudicando essa belíssima copla com a estridência de que não se consegue libertar:

© CanalSur

Para apurar o resultado final, Mario FERNANDEZ e Mariló RUIZ deram largas musicais à proverbial antipatia que os anima, cantando “Triniá” (Valverde, León e Quiroga). Sandra DE LA ROSA deu passagem a Mariló RUIZ, proporcionando assim uma certa tranquilidade aos concorrentes da Gala 15:

© CanalSur

Se Llama Copla – 2009/2010 – Gala 11 – 28.11.2009

Convidado:

Rafael OJEDA, sevilhano. “Falete” quando canta, personagem sofisticada cujo brilhante registo artístico composto de sábia mistura de flamenco e copla, arrebata e fascina. Foi pertinente, profundo, sempre construtivo, e estimulo apreciadissimo para os candidatos.

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Pepe GOMEZ melhora em precisão e pertinência em cada gala. As suas criticas são objectivas e demonstram um grau de atenção muito elevado – os reparos que fez a Laura são disso um bom exemplo, e a candidata só ganhará em reflectir nelas.

Maria JIMÉNEZ revelou-nos a sua devoção à Virgem do Rocio, que segundo garantiu lhe resolve problemas, mas que porém a não impediu de macular com um despropósito chulo, de profundo e indesculpável mau gosto, a magnifica interpretação de Alejandra. Criticável!

Hilário LOPEZ continuou parco nos pontos e algo “seguidista” – ele próprio o reconheceu pelo menos um par de vezes. É pena que se abstenha cada vez mais de ilustrar as peças confiadas aos candidatos com a imensa erudição de que é depositário.

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Pive mais uma vez se viu confiada uma arbitragem extremamente delicada, que, no nosso modesto entender, resolveu correctamente. A sua missão não é nem nunca poderia ser, “salvar” o staus quo – para isso o candidato mais votado em cada gala dispõe de um joker que utiliza livremente. Continuamos por isso a sublinhar a justeza das suas decisões, que entendemos e largamente partilhamos.

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Tiveram actuações de destaque nesta Gala 11:
 
Inmaculada PANIAGUA, que defendeu com graça e salero Bulerías de la Isla. Grande domínio do palco, apoiado em cenografia de qualidade.
 


© CanalSur

Laura LARREA deu-nos uma interpretação de Noches bonitas de España a que só faltou algo mais de ousadia. Laura excede em prudência, e como Falete oportunamente observou, está demasiado dependente do ambiente que a rodeia.

© CanalSur

Abraham RUIZ honrou com brio a memória de Caracol, defendendo com intimidade e contenção “Carcelero, carcelero”, peça histórica dificílima, zambra erudita maior entre as maiores. Foi vitima da dificuldade que o publico tem em apreciar prestações complexas, e ouvido o desafio varias vezes, não conseguimos compreender a decisão do júri. Desejamos a Abraham todos os sucessos pessoais e artísticos, e estamos certos que a sua arte e tenacidade vingarão.
 


© CanalSur

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Damos as boas vindas a Maria Angeles FERNANDEZ.

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Quanto às melhores presenças da noite:
 
Sandra deu largas à sua preciosa veia lírica com uma interpretação agradabilíssima de “La Ruiseñora”. Dominou a cena, foi incisiva, e também merece constar na lista das melhores presenças da noite pela dignidade e serenidade com que afrontou a dureza do júri e o sentimento com que deixou o palco para Abraham enfrentar o desafio.


© CanalSur

 
Mercedes cantou “La duquesa Cayetana”, copla alusiva a D. María del Pilar Cayetana de Silva Álvarez de Toledo (1762-1802), modelo de Goya. Desempenho musical e cénico preciosos, coreografia requintada. Mercedes meteu-se na personagem com uma elegância e recato notabilíssimos, dando-nos uma versão totalmente diferente mas tão bela como a que a excelente Gloria ROMERO nos deu na gala 19 da edição passada. Aqui ficam as duas, para memória. Vestido estupendo de Petro VALVERDE.


© CanalSur

Selene deu-nos o primeiro momento mágico da noite interpretando “Herencia gitana”, copla e poema exímios dos anos trinta, bordados de forma magistral. Cenografia fascinante. Olé Selene, Olé Marietta!

© CanalSur

Alejandra começou por preparar os milhões de telespectadores que aguardavam a sua actuação com um improviso, de brilho e intensidade excepcionais. Não podemos assegurar se alguma vez ouvimos “Que no daría yo” de forma mais emotiva!

© CanalSur

Em seguida cantou “La gente”, e acrescentou mais uma noite de glória a tantas outras com que nos tem deliciado, deixando-nos sem palavras para qualificar o seu desempenho. Luziu um vistoso vestido de Ángeles VERANO.

 

© CanalSur

2M

A %d blogueros les gusta esto: