Archivo del sitio

Se Llama Copla 5 – Viernes noche 14 – 16.12.2011

A presença de Álvaro DIÁZ em Viernes noche atentou aos principíos de equidade e de igualdade de tratamento dos candidatos. Ainda que menos grave que a presença em actuações publicas de membros do jurí e de candidatos (como a que na passada edição ocorreu com Manuel LOMBO e Verónica ROJAS), consideramos que o concurso ganharia em preservar-se de situações como esta, e das controvérsias que delas inevitávelmente resultam.

Que fique bem claro: este comentário em nada visa Álvaro DIÁZ, artista excelente e pessoa correctissíma, que por isso mesmo não merecia nem devia ser envolvido em tão desagradável incidente.

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Sandra ARCO abriu a 14.a edição de Viernes noche cantando Procuro olvidarte, de Manuel Alejandro.

Demonstrou estar em forma excelente e manter bem acesa a chama da sua força interpretativa:

© CanalSur

Ana Pilar CORRAL – “Niña Caracola, de Kola e Castellano:

© CanalSur

Manuel CRIBAÑO – “A tu vera, de León e Solano:

© CanalSur

Alvaro DIÁZ – “El emigrante, de Valderrama, Pitto e Serrapi:

© CanalSur

Oscar CALDERÓN – “Separaos, de Román e Jaén

© CanalSur

Sandra ARCO – “Amor maldito, de Bazán e Rabay

© CanalSur

Eva María HIERRO – “No me quieras tanto, de Quintero, León e Quiroga

© CanalSur

Isabel María RÍCO – “Locura de mi querer, de Molés e Gordillo

© CanalSur

Ana Pilar CORRAL vs Isabel María RÍCO – “Antonio Vargas Heredia, de Mostazo, Merenciano e de la Oliva

© CanalSur

O jurí ad hoc decidiu afastar Ana Pilar definitivamente do concurso, enviando Isabel María ao desafio da Gala 14.

Anuncios

Se Llama Copla 5 – Gala 04 – 08.10.2011

Juan Antonio GONZÁLEZ – “Patio Banderas, de Currito e Monreal

© CanalSur

Selina DEL RÍO – “Puentecito, de Perelló e Monreal. Vestido de Aurora Gaviño.

© CanalSur

Jonathan SANTIAGO – “Puerto camaronero, de García Padilla e Mostazo

© CanalSur

Álvaro DÍAZ – “La niña de Punta Umbría, de Ochaita, Valerio e Solano

© CanalSur

Mari Carmen MOLINA – “Feriante, de Román e Cepero. Vestido de Pitusa Gasul

© CanalSur

Cintia MERINO – “La salinera, de García Padilla e Mostazo. Vestido de Ana Torres.

© CanalSur

Rocío PELÁEZ – “Calle Elvira, de Montes e Lito. Belo vestido de Sonia  & Isabelle.

© CanalSur

Macarena SOTO – “Corona de perlas, de Pérez Ortiz, Naranjo, Rivas. Belo vestido de José Hidalgo.

© CanalSur

Juan Francisco CURADO – “Falsa monea, de Perelló, Mostazo e Cantabrana

© CanalSur

Ana Pilar CORRAL – “Separaos, de Ignacio Román e R. Jaén. Vestido de Misura.

© CanalSur

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Desafio para a imunidade:

Álvaro DIÁZ vs Jonathan SANTIAGO – “Antonio Vargas Heredia, de Mostazo, Merenciano e Oliva.

© CanalSur

Desafio:

Juan Antonio GONZÁLEZ vs Cristina SERRANO – “La bien pagá, de Perelló e Mostazo.

© CanalSur

O júri decidiu dar acesso ao concurso a Cristina SERRANO, cujo nível artistico é sem dúvida elevado, mas que carece da originalidade interpretativa que é a marca do desafiado.

Saúdamos Juan Antonio GONZÁLEZ, cuja passagem por Se Llama Copla é um magnifico exemplo das fronteiras que a arte não tem.

Se Llama Copla 4 – Viernes noche – 11.02.2011


© CanalSur


© CanalSur


© CanalSur


© CanalSur


© CanalSur

Se Llama Copla 4 – Gala 12 – 18.12.2010

Isabel GENIZ teve outra noite de glória comSalero de España (Quintero, León y Quiroga), em que aplicou não só o salero que se impunha mas a graça, a elegância e a naturalidade que fazem dela um dos valores mais seguros desta edição. Esteve objectiva, digna, imperturbável, e pertinente  na decisão de excluir Juanma do desafio. Belíssimo vestido de Amparo MACIÁ.

© CanalSur

Mais uma magistral actuação de Anaraida SÁNCHEZ, que emprestou os seus excepcionais dotes vocais e interpretativos a um grande clássico – Mi amigo de León y Solano. Elegantíssimo vestido de Ana TORRES.

© CanalSur

Remedios CASTRO cantou e actuouYo soy… esa” (Quintero, León y Quiroga) com excepcional elegância, retenção e fulgor artístico. Vestido – o mais belo da gala – de Luchi CABRERA.

© CanalSur

Belíssima interpretação deQué bonita es mi niña (F.García del Val) por Álvaro VIZCAÍNO, que cada vez mais demonstra ser capaz de emprestar aos temas que lhe confiam originalidade e criatividade.

© CanalSur

Inma GARCÍA II enfrentou-se nesta gala a um registo menos adaptado ao seu estilo pessoal. No nosso modesto entender provou a solidez das suas capacidades, cantando Separaos” (I. Román y R. Jaén) com impressionante ajuste e perfeição técnica. Vestido de Pilar VERA.

© CanalSur

Verónica ROJAS cantouYo no me quiero enterar de Quintero, León y Quiroga, com brilho e sensibilidade. Por muito que a actuação na Catedral de Sevilha ao lado de Manuel LOMBO possa ter sido bálsamo para o tormento da desafeição relativa dos telespectadores em relação à sua pessoa e à sua arte, pareceu-nos que não lhe aproveitou, pelo grave conflito de interesses que constitui. Vestido de Ana TORRES.

© CanalSur

Patricia DEL RÍO cresce e adquire admirável segurança. Interpretou Manolito Clavel (Quintero, León y Quiroga). Vestido de Manuela BERRO.

© CanalSur

Mila BALSERA vendeu com segurança e mestria a Vendedora de coplas (Ignacio Román). Vestido de Aurora GAVIÑO.

© CanalSur

Juanma JEREZLa remanguillé (León, Clavero, Quiroga y Vargas). Domínio da voz e integração com a orquestra excelentes.

© CanalSur

Álvaro HERNÁNDEZDolores la Golondrina (Quintero, León y Quiroga). Estilo pessoal muito cuidado, afinação perfeita, expressão musical original.

© CanalSur

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Desafio final:

Defrontaram-se se Remedios CASTRO e Lidia HERNÁNDEZ cantando A tu vera, de León e Solano. Duas grandes vozes, duas grandes interpretes. Pessoalmente, entendemos que a admirável sensibilidade, o intimismo e a pessoalissíma versão de Remedios lhe valeram justamente a decisão do júri.

 

© CanalSur

© CanalSur

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Quanto ao júri:

Pive AMADOR: sem reparos, e com louvores à “finesse” sibilina com que tentou salvar Remedios das intenções do júri.

Manuel LOMBO esteve bem, nomeadamente na intervenção incidental à pontuação de Isabel GENIZ, pondo em evidência a frontalidade da concorrente. Ao convidar Veronica ROJAS para partilhar com ele (artisticamente…!) o altar-mór da Catedral de Sevilha fragilizou a sua independência, que corre o risco de poder vir a ser sériamente posta em causa até ao fim da edição.

Marta QUINTERO parece-nos afectada pelo síndroma da mudança, evidenciado na passada gala ao condenar Fran DOBLAS, e nesta ao condenar Remedios CASTRO. No restante, geralmente pertinente e equilibrada, com alguns excessos de rigor (v.g. Isabel e Remedios).

Hilario LÓPEZ: sem reparos, e com louvores à inesgotável e pertinente veia poética.

A %d blogueros les gusta esto: