Archivo del sitio

Se Llama Copla 5 – Viernes noche 14 – 16.12.2011

A presença de Álvaro DIÁZ em Viernes noche atentou aos principíos de equidade e de igualdade de tratamento dos candidatos. Ainda que menos grave que a presença em actuações publicas de membros do jurí e de candidatos (como a que na passada edição ocorreu com Manuel LOMBO e Verónica ROJAS), consideramos que o concurso ganharia em preservar-se de situações como esta, e das controvérsias que delas inevitávelmente resultam.

Que fique bem claro: este comentário em nada visa Álvaro DIÁZ, artista excelente e pessoa correctissíma, que por isso mesmo não merecia nem devia ser envolvido em tão desagradável incidente.

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Sandra ARCO abriu a 14.a edição de Viernes noche cantando Procuro olvidarte, de Manuel Alejandro.

Demonstrou estar em forma excelente e manter bem acesa a chama da sua força interpretativa:

© CanalSur

Ana Pilar CORRAL – “Niña Caracola, de Kola e Castellano:

© CanalSur

Manuel CRIBAÑO – “A tu vera, de León e Solano:

© CanalSur

Alvaro DIÁZ – “El emigrante, de Valderrama, Pitto e Serrapi:

© CanalSur

Oscar CALDERÓN – “Separaos, de Román e Jaén

© CanalSur

Sandra ARCO – “Amor maldito, de Bazán e Rabay

© CanalSur

Eva María HIERRO – “No me quieras tanto, de Quintero, León e Quiroga

© CanalSur

Isabel María RÍCO – “Locura de mi querer, de Molés e Gordillo

© CanalSur

Ana Pilar CORRAL vs Isabel María RÍCO – “Antonio Vargas Heredia, de Mostazo, Merenciano e de la Oliva

© CanalSur

O jurí ad hoc decidiu afastar Ana Pilar definitivamente do concurso, enviando Isabel María ao desafio da Gala 14.

Se Llama Copla 5 – Viernes noche 06 – 21.10.2011

A 6.a emissão de “Viernes noche” ficará nos anais de “Se Llama Copla” pelas piores razões possíveis: durante mais de 1 hora, estiveram instalados um misto de farsa, indignidade e lixo televisivo.

A emissão foi construída à volta da crucificação in absentia de Selina DEL RÍO por um grupo de pessoas apostadas em boicotarem a sua presença no concurso, através da utilização intolerável do instrumento de comunicação que controlam para despertarem nos telespectadores “sensíveis” hostilidade em relação à sua pessoa.

Tratou-se de operação de manipulação tanto mais grave quanto se baseou em factos ocorridos em privado, cuja divulgação só foi possível por terem sido filmados, e alguém ter decidido torná-los públicos durante a passada gala.

A performance do patético Muñoz foi a menos inesperada: não sendo necessariamente as capacidades intelectuais directamente proporcionais ao tamanho do cérebro, Muñoz é exemplo vivo dos casos em que o podem ser inversamente.

Básico, inconsequente, inculto, hipócrita, beato falso, vomitou todo o veneno que vem acumulando em relação a Selina através da repetição nauseante de banalidades e lugares comuns destinados a “aquecerem” a audiência.

Surpreendeu-nos e entristeceu-nos a gravíssima derrapagem de Inmaculada JABATO, cuja formação, estatuto de jornalista e  madurez biológica deveriam ter sido suficientes para lhe imporem a circunspecção normalmente exigível a quem é responsável por dar voz ao público, e que está por isso obrigado a manter independência total em relação ao dito e aos alvos do mesmo.

Mari Ángeles MARÍN – que apreciamos muito, e a quem devemos a descoberta de Se Llama Copla – provou que, para se libertar do passado de empregada num talho e se transformar em “professora” é preciso bastante mais do que vontade, pois também aí tem que haver arte inata. Dos tempos no talho ficou-lhe o “killing instinct”, que não é propriamente o que lhe vai garantir um futuro radioso.

Sandra DE LA ROSA também foi vitima da cilada: apreciámos e aplaudimos a sua circunspecção, a forma como se manteve discreta, reservada, contida. Compreendemos o embaraço e a dificuldade que teve em participar na farsa.

*-*-*-*-*-*-*-*

Veronica ROJAS foi impressionante de arte, de elegância, de coerência, de coragem pessoal e cidadã. Sabendo que arriscava a hostilidade do público aquecido ao rubro vivo po Muñoz & Companhia, manteve a sua apreciação objectiva da personalidade de Selina, e não se deixou arrastar para a lama que, nesta noite infeliz, inundou o palco de “Viernes noche”. Olé por Verónica!

*-*-*-*-*-*-*-*

Veronica ROJAS – “Nosotros, de Pedro Junco Jr.

© CanalSur

Cristina GARCÍA – “La morena de mi copla, de Jofre e Castellano

© CanalSur

Aymar BOMUARET – “La morena de mi copla, de Jofre e Castellano

© CanalSur

Veronica ROJAS – “Habla con los ojos, de Montoro e Solano

© CanalSur

Cristina GARCÍA – “Trece de mayo, de León e Solano

© CanalSur

Aymar BOMUARET – “La Tani, de Currito e Monreal

© CanalSur

Jessica LÓPEZ – “El lerele, deMonreal

© CanalSur

*-*-*-*-*-*-*-*-*-

Congratulamo-nos com a decisão por unanimidade do jurí de nomear como desafiante na 6.a gala a excelente Cristina GARCÍA. Decisões ponderadas e razoáveis como esta provam que, uma vez satisfeitas as pulsões crucificantes, até Torquemada teria sido capaz de mostrar o seu lado  razoável.

Se Llama Copla 4 – 09.04.2011 – Gala 28 – Semi-final

© CanalSur

Actuações:

Anaraida SÁNCHEZ – “Solo vivo pá quererte, de Quintero, León e Quiroga. Vestido de MASELL.


© CanalSur

Álvaro VIZCAÍNO – “Antonio Vargas Heredia, de Mostazo e De la Oliva

© CanalSur

Fran DOBLAS – “Silencio por un torero, de Quintero, León e Quiroga

© CanalSur

Álvaro HERNÁNDEZ – “No me digas que no, de León e Quiroga

© CanalSur

Verónica ROJAS – “En tierra extraña, de Penella e Álvarez. Vestido de Francisco TAMARAL.

© CanalSur

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

© CanalSur

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Desafios:

Anaraida SÁNCHEZ vs Álvaro VIZCAÍNO:

© CanalSur

Passa à final por decisão do júri: Anaraida SÁNCHEZ

*-*-*-*

Veronica ROJAS vs Alvaro HERNÁNDEZ:

© CanalSur

Passa à final por decisão do júri: Veronica ROJAS

*-*-*-*

Alvaro VIZCAÍNO vs Alvaro HERNÁNDEZ:

© CanalSur

Resultado a decidir pelo publico por votação telefónica

Se Llama Copla 4 – Gala 27 – 02.04.2011

 
Patricia DEL RÍO – “Señora, de M. Alejandro e A. Magdalena. Vestido de Sonia PEÑA.

© CanalSur

Anaraida SÁNCHEZ – “Trece de mayo, de León e Solano. Vestido de Aurora GAVIÑO.


© CanalSur

Isabel GENIZ – “Niña Isabel, de Montoro e Solano. Vestido de Sonia PEÑA.


© CanalSur

Álvaro VIZCAÍNO – “Tus ojos negros, de Santa Lucía, León e Quiroga


© CanalSur

Fran DOBLAS – “La copla en mi voz, de De Juan e Marvizón


© CanalSur

Álvaro HERNÁNDEZ – “Esta pena mía, de León e Solano


© CanalSur

Verónica ROJAS – “La guapa, guapa, de Ochaíta, Valerio e Solano. Vestido de MASELL.


© CanalSur

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Desafio final:

Encontraram-se no desafio final Álvaro HERNÁNDEZ, Verónica ROJAS e Patrícia DEL RÍO.

Alvaro HERNÁNDEZ – o candidato menos votado pelo público – devolveu a Veronica ROJAS a gentileza da semana passada, vindo a passagem à semi-final a decidir-se entre Álvaro e Patrícia que interpretaram “Mi jaca


© CanalSur

© CanalSur

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

 Quanto ao júri:

Pive AMADOR : Beneficiou da instalação de uma eficaz força de interposição (Marta QUINTERO), de que poderia ter aproveitado talvez Claro, conciso, coerente.

Manuel LOMBO :

Marta QUINTERO
:

Hilario LÓPEZ MILÁN
deu passagem a Álvaro, sem contudo se atrever a motivar a sua decisão, que na nossa modesta opinião não foi a mais acertada – nem à luz das pontuações que ele próprio atribuiu, nem à luz da valoração do público.

A %d blogueros les gusta esto: